Spin em Pesquisa Clínica

Spin em pesquisa clínica: resumos não devem ser utilizados para tomada de decisão clínica

Spin é um termo em inglês, utilizado para indicar a interpretação dos autores de forma distorcida, na maioria das vezes exagerando os resultados encontrados no estudo a favor da intervenção estudada.

A importância de estudar este tema é diretamente relacionada ao fato de que leitores de artigos são clínicos, que na correria do dia a dia, muitas vezes não tem tempo para ler o estudo inteiro. Pode ser que não saibam interpretar os resultados do estudo por conta própria, o que os fazem ter que acreditar no que os autores interpretaram na conclusão do estudo. Acontece que, se um resumo é mal interpretado com base num resultado que não foi eficaz, o tratamento muitas vezes é recomendado quando não era pra ser. Isso pode trazer sérios problemas na tomada de decisão clínica no dia a dia de profissionais de saúde e pacientes.

Em resumos de revisões sistemáticas em dor lombar, por exemplo, encontramos spin nas conclusões de 8 a cada 10 resumos, alem de serem inconsistentes com o texto completo. O mesmo cenário é similar em ensaios controlados aleatorizados em dor lombar, assim como em diversas outras áreas da saúde. Uma coisa é um titulo sensacionalista para chamar atenção de telespectadores em noticiários na televisão, mas na ciência deveria ser diferente. Cientistas estudam ardentemente para melhorar a qualidade de vida e saúde da população, os dados devem ser diretos e retos.

Os resultados dos nossos estudos nos motivaram a escrever discussões mais ardilosas, recomendando fortemente que editores de revistas tornassem suas políticas editoriais mais rígidas, criteriosas e de certa forma mais flexíveis com relação a resumos, por exemplo aumentando o numero de palavras permitidas. Como recompensa, já tivemos algumas repostas positivas, como dos editores das revistas Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, Physical Therapy Journal e da Brazilian Physical Therapy Journal.

Muitas revistas na área da saúde ainda precisam melhorar suas políticas editoriais quanto a qualidade de seus resumos e textos completos. Baseado em nossos resultados, uma das variáveis que melhora a qualidade dos resumos é facilmente modificável por editores de revistas: aumentar  o número de palavras permitidas no resumo. Alem disso, simples avisos aos revisores para se atentarem com spin e inconsistências entre resumo e texto. Simples assim!

JOSPT – Eight in every 10 abstracts of low back pain systematic reviews presented spin and inconsistencies with the full text – An analysis of 66 systematic reviews

Archives – Abstracts of low back pain trials are poorly reported, contain spin of information, and are inconsistent with the full text – An overview study)

BJPT – Spin of results in scientific articles might kill you

Archives – Archives seeks to improve abstract reporting quality

Physical Therapy Journal – Protecting against “Publication Spin” in clinical trials

Por Dafne Port
30 de abril de 2020

Ver artigos

CONTEÚDOS EM DESTAQUE

Spin em pesquisa clínica: resumos não devem ser utilizados para tomada de decisão clínica

SAIBA MAIS

BMJ Open: Estudos piloto e de viabilidade, por Luiz Scola

SAIBA MAIS

Terapia de fotobiomodulação não diminui dor e incapacidade para dor lombar não específica

SAIBA MAIS